Casa Tecnologia Velocidade é chave na briga do mercado de fibra, diz presidente da Oi

Velocidade é chave na briga do mercado de fibra, diz presidente da Oi

por Alberto Lima


CEO da Oi, Rodrigo Abreu

A estratégia de preço do serviço de banda larga fixa, incluindo a fibra até a residência (FTTH), não permite agressividade a ponto de haver uma guerra de preços como na móvel. Segundo avaliação do presidente da Oi, Rodrigo Abreu, as condições são diferentes, já que envolvem investimentos de instalação, equipamentos e da manutenção do serviço. “Não é como na móvel, em que se compra o SIMcard na loja”, comparou ele durante teleconferência de resultados nesta sexta, 13. 

Mas há uma forma de a Oi disputar na banda larga fixa. A companhia tem como centro da estratégia a fibra, e aposta que os consumidores reconhecerão os benefícios que a tecnologia em si permite em relação ao cobre e até mesmo ao cabo coaxial. Sobretudo, há o apelo da velocidade.

“Para usuários que ainda precisam de razões para mudar: na nossa visão, é claro que deveria migrar de 120 Mbps [no cabo] para 200 Mbps [na fibra], por que é melhor. Mas quando ele vê que pode ir para 400 Mbps ou além, a mudança fica mais atrativa e clara”, destaca. Além disso, há o potencial maior com a base de maior valor/retorno.

A participação dessa oferta de 400 Mbps em particular aumentou no comparativo de trimestres consecutivos. A base era apenas 1% do total de FTTH até junho, e agora já é 5%. As outras ofertas são 100 e 200 Mbps. A receita média por usuário de fibra avançou 3,3% no mesmo período, e agora é de R$ 88.

Tecnologia

A avaliação de Abreu é que o FTTH teria uma vantagem competitiva “muito maior” em relação às tecnologias coaxial e cobre. Neste último caso, a própria Oi tem engajado uma estratégia de migração do cliente do FTTc para a fibra. 

Existe ainda o potencial da infraestrutura que suporta o FTTH. “Fibra não é só o que vai para a casa, mas também como todo o tráfego é gerado no core, backbone e backhaul. Acreditamos nessa infraestrutura em todo o País, e não temos as restrições que a maioria dos players locais têm.”

Apesar de competir com provedores regionais nessa mesma tecnologia, o backbone e backhaul da Oi também tem capacidade vendida no atacado. Entre julho e setembro, as vendas para as PPPs aumentaram 34,7% comparado ao segundo trimestre, e 398,6% comparado ao terceiro trimestre de 2019.

A Oi espera fechar o ano com algo entre 8,6 e 8,8 milhões de homes passed, enquanto as casas conectadas deverão ficar entre 2 e 2,2 milhões. Com a separação industrial da InfraCo, a expectativa da operadora é que o mercado “alcançável” é de quase 40 milhões de residências, e a meta é chegar a 30 milhões delas. “Estamos a menos de um terço de chegar lá”, declara Abreu. 

DTH

Apesar do foco no FTTH, a oferta de TV por assinatura via satélite mostrou um aumento no terceiro trimestre de 2020, passando de R$ 371 milhões no trimestre anterior para R$ 375 milhões (ou 23% da receita residencial). Rodrigo Abreu explica que esse resultado não significa que há uma estratégia de captura para eventual migração para o IPTV na fibra, mas sim um efeito da maior cobertura da tecnologia. “O que fazemos para sustentar o desempenho positivo é com relacionamento próximo com parceiros instaladores e companhias que estão nos ajudando a trabalhar na eletrônica dos set-top boxes.”

“O DTH começa [a comercialização] por si, e ajuda na nossa presença local em quase todo o País e com a abordagem de vendas, pois podemos expandir até em áreas onde não há opções de fibra ou cabo. É um pouco mais resiliente”, comenta o executivo. “Mas quando se vê o futuro, a tendência estrutural, tanto no Brasil quanto no mundo, é que o DTH provavelmente vai cair”, diz. “Vemos que essa migração [para o satélite] será negativa no longo prazo, mas vai ser positivo para a fibra e o streaming.” Vale lembrar que a Oi pretende vender a operação de TV por assinatura.



Fonte Teletime

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies