uma Lua do milho a cada três anos


 Um dos eventos astronômicos mais amados é a Lua cheia. Uma Lua do milho ocorre em setembro. Além disso, uma linda dessas acontece apenas uma vez a cada três anos. Não te recomendaria perdê-la. 

Este ano há um certo destaque, no entanto. A diferença de  setembro de 2020 é que a Lua cheia ocorre bem mais mais cedo do que geralmente ocorre nos outros anos em que ocorre.  

Você pode observá-la na noite desta quarta-feira, dia 02 de setembro de 2020. Tratando-se de uma Lua Cheia, portanto, é muito fácil identificar, já que o seu brilho é intenso.

Por que Lua do milho?

Somos grandemente influenciados pela cultura norte-americana, correto? E isso é natural, portanto, dada a potência que se tornou o país. Prova disso é o Halloween. É exatamente desse período que deriva o nome Lua do milho.

O nome possui relação com as observações do céu para localização no tempo, para a agricultura, para os nativos do território do atual Estados Unidos, para ser mais específico. Essa cultura acabou sendo naturalmente absorvida pelos fazendeiros americanos.

Essa época marca a época da colheita do milho. Essa lua também pode ser chamada, portanto, de Lua da Colheita. É simplesmente uma questão de marcação temporal. 

Em um artigo no site da NASA, o especialista lunar da agência, Gordon Johnston, explica com essa transição e disseminação cultural em relação à Lua de Setembro acabou acontecendo:

“O Maine Farmer’s Almanac [um periódico rural dos EUA] publicou pela primeira vez nomes nativos americanos para as luas cheias na década de 1930. Com o tempo, esses nomes se tornaram amplamente conhecidos e usados”.

“De acordo com este almanaque, como a lua cheia em setembro e a última lua cheia do verão, as tribos algonquinas no que hoje é o nordeste dos Estados Unidos chamavam-na de Lua do Milho, pois era a época de colher suas principais safras de milho, as abóboras , abóbora, feijão e arroz selvagem”, explica.

Outras culturas

Não só de Estados Unidos é feito o mundo, e outras culturas também possuem suas referências à Lua de setembro. Ela é importante em todo o hemisfério norte para marcar a época da colheita.

No Brasil, estamos chegando ao fim do inverno. No hemisfério norte, por sua vez, ao fim do verão. Na Europa, por exemplo, chama-se Lua da fruta. Nesta época, as frutas começam a amadurecer.

“Esta Lua cheia corresponde ao Festival Chinês do Fantasma com Fome”, explica Johnston. Ele diz que o 15° de setembro é chamado, na China, de dia dos Fantasmas. É neste dia, que para a cultura chinesa, os espíritos vêm para a Terra visitar os parentes vivos. 

Ademais, há, também a celebração hindu. A Lua cheia de setembro marca o fim do Onam. Trata-se de um festival de colheitas indiano. Marca também o início do Paksha, onde os hindus fazem oferendas a seus ancestrais, com alimentos. 

Há uma versão da Lua do Milho também na Tailândia. “Este festival está ligado a uma lenda de que um elefante e um macaco alimentaram o Buda quando ele estava na floresta para trazer a paz entre duas facções, com o elefante oferecendo frutas e o macaco oferecendo um favo de mel.”

Com informações de NASA e Live Science.

Queremos nos tornar a maior referência em educação científica do Brasil e na língua portuguesa. Para isso, precisamos pagar os melhores jornalistas, revisores e freelancers de ciência. Fazendo uma doação mensal em nosso , você nos ajuda a nos manter independentes e continuar o nosso trabalho sem percalços. 



Fonte Socientifica