TIM discute novo plano industrial, mas já sente efeitos da retomada na pandemia


Foto: Pixabay

A TIM está no momento discutindo a sua revisão periódica do plano industrial para o próximo triênio, desta vez já com uma dimensão melhor do impacto da pandemia na operadora. Após um período de incertezas, e efeitos especialmente no pré-pago, agora os padrões de consumo mostram uma retomada aos níveis pré-crise, ainda que a situação da pandemia em si esteja longe de ser controlada no País. Até mesmo a inadimplência foi reduzida, uma vez que os clientes perceberam a essencialidade do serviço.

“Estamos no começo da discussão do plano estratégico. Não chegamos nos números, só no nível de estratégia”, declarou o diretor de marketing da TIM, João Stricker, em entrevista ao TELETIME. Ele explica que a companhia ainda vai ver nos próximos meses como será a “velocidade de saída” da situação atual, mas já há indícios de que a reabertura do comércio mostra tendências.

“O que estamos vendo hoje é uma retomada, já neste mês passado e, nesse, mais acelerado, com patamar normal de recarga”, afirma. No pós e no controle, nos quais havia “grande preocupação” com a inadimplência, a operadora viu um “movimento contrário”, já passando o momento considerado crítico. “As pessoas perceberam a relevância do serviço, e como o ticket não é enorme, vimos acontecer uma inadimplência caínte, as pessoas pagando mais”, destaca.

Leilão de 5G

Stricker diz que o momento atual ainda é complicado para grandes investimentos, uma vez que as empresas têm pressão ainda mais nas margens com a situação da pandemia. Mesmo assim, vale ressaltar que os olhos da TIM estão no leilão de 5G – sem contar com a possível aquisição de uma fatia da Oi Móvel. 

Do ponto de vista do marketing, Stricker entende que há espaço para o 5G. A operadora deverá começar a operar com o compartilhamento dinâmico de espectro do 4G, o 5G DSS, nas cidades mineiras de Itajubai e Três Lagoas, que servirão como piloto para a utilização desse tipo de tecnologia. Mas o diretor da TIM ressalta: “O 5G de verdade vai vir com o leilão”.

Segundo ele, na TIM ainda não há um projeto de desligamento de tecnologias legadas, como 2G ou 3G. Porém, a operadora tenta incentivar as migrações: recentemente, a empresa lançou um site para facilitar a troca de chips para a tecnologia 4G. Outra estratégia é na venda de handsets, que são somente em LTE, embora parceiros comerciais ainda continuem vendendo aparelhos antigos.  



Fonte Teletime