in

Reino Unido impõe mais barreiras à Huawei no 5G e financia OpeRAN como alternativa


Foto: Pixabay

O governo do Reino Unido anunciou nesta segunda-feira, 30, um conjunto de medidas para definir a saída da Huawei do 5G. A compra de novos equipamentos da fornecedora chinesa para operadoras britânicas já estava proibida a partir de janeiro de 2021, e agora a instalação desses aparelhos deverá cessar a partir de setembro do ano que vem. Até 2027, a Huawei teria que estar totalmente banida da nação.

Além de estabelecer a proibição, alegando motivos de segurança, a a administração do primeiro-ministro Boris Johnson também anunciou medidas para estimular e financiar projetos para “diversificar fornecedores”, inclusive com o uso de rede de acesso móvel aberta (OpenRAN). Isso porque o próprio governo reconhece que haverá um “forte risco” de depender somente dos fornecedores tradicionais, a Ericsson e a Nokia.

Na última versão do projeto de lei de segurança das telecomunicações do governo, comandado pelo Departamento de Digital, Cultura, Mídia e Esporte, que está tramitando no parlamento, as operadoras recebem um cronograma para suspender as compras da Huawei e remover os equipamentos já existentes na rede da gigante chinesa.

A publicação de sua estratégia mais recente ocorre uma semana depois que o Chanceler do Tesouro do Reino Unido, Rishi Sunak, anunciou £ 250 milhões (cerca de US$ 333 milhões) em financiamento dedicado à diversificação da cadeia de suprimentos 5G. No início deste ano, o governo reuniu uma força-tarefa de especialistas do setor para investigar possíveis medidas que poderiam ser tomadas para incentivar novos participantes.

OpenRAN

Dentro do escopo do programa, o Reino Unido financiará testes de OpenRAN em parceria com a fornecedora japonesa NEC para criar uma cadeia de fornecedores de tecnologia 5G para as operadoras britânicas. A iniciativa faz parte do projeto de lei de segurança das telecomunicações do governo e da Estratégia de Diversificação da Cadeia de Suprimentos 5G, lançados pelo Departamento de Digital, Cultura, Mídia e Esporte.

A proposta envolve criar um centro de inovação geral de telecomunicações e apoiar uma instalação de P&D SmartRAN específica. O projeto NEC NeutrORAN será estabelecido no País de Gales com o objetivo de apoiar inovações para o 5G baseado em RAN aberto no Reino Unido em 2021.

Um segundo centro de inovações será aberto, apoiado pelo regulador Ofcom no âmbito do projeto Digital Catapult, com o Laboratório Nacional de Telecomunicações criado para P&D de operadoras, acadêmicos e fornecedores. O secretário digital do Reino Unido, Oliver Dowden, disse que os movimentos em direção à diversificação da cadeia de suprimentos de telefonia móvel significariam “nunca mais dependeremos de um punhado de fornecedores de telecomunicações para o funcionamento seguro e tranquilo de nossas redes”. E segue dizendo que “nossos planos vão desencadear uma onda de inovação no design de nossas futuras redes móveis.” (Colaborou Bruno do Amaral)



Fonte Teletime

O que você acha?

Escrito por Alberto Lima

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Primeiro mapeamento de todas as espécies de abelha do mundo

Chuvas colocam parte de São Paulo em estado de alerta