Casa Tecnologia Presidente da TIM propõe que Brasil aposte no OpenRAN para virar referência no 5G

Presidente da TIM propõe que Brasil aposte no OpenRAN para virar referência no 5G

por Alberto Lima


CEO da TIM, Pietro Labriola, fala durante o Painel Telebrasil 2020

O presidente da TIM, Pietro Labriola, propõe que o Brasil deveria apostar no modelo de virtualização de redes de acesso abertas, o OpenRAN. Na opinião do executivo, isso permitiria ao País se tornar uma espécie de referência, conseguindo recuperar o que ele afirma ser um atraso na implantação do 5G e assumindo uma posição de destaque no cenário mundial da tecnologia.

“O atraso do 5G talvez possa virar uma oportunidade para todos nós, no sentido do novo standard que está aparecendo, o OpenRAN”, declarou Labriola durante apresentação no último dia do Painel Telebrasil 2020, nesta terça-feira, 29. “Poderíamos abraçar [a tecnologia] e nos tornar o primeiro país a adotá-la.”

Segundo explica o presidente da TIM, o OpenRAN permite escolher fornecedores diferentes para a tecnologia da rede de acesso, em especial no 5G. “Está aparecendo muitos outros parceiros e indústrias de tecnologia que vão fornecer esse serviço. Vamos avaliar a possibilidade de abrir para a OpenRAN e virar um laboratório do mundo, atraindo investimento e pesquisa para essa tecnologia, fazendo um ‘leap frog’, um salto para nós ficarmos à frente dos outros, transformando o Brasil no país mais avançado no 5G”, destacou. 

Labriola diz que sabe que a proposta é uma “provocação” para o setor de telecomunicações, mas justifica que tomar o risco pode permitir “transformar um atraso em maior sucesso”. 

Huawei

O OpenRAN já é adotado em algumas operações, como da operadora Rakuten no Japão, além de vários testes com outras empresas pelo mundo. No Brasil, além da própria TIM, a Vivo havia anunciado piloto com a tecnologia. 

Mas é importante lembrar que, além de supostos benefícios tecnológicos, o padrão de rede virtualizada aberta é também uma das bandeiras dos Estados Unidos para contra-atacar a China, em especial a Huawei, no 5G. Ainda neste mês de setembro, o órgão regulador Federal Communications Commission (FCC) anunciou um programa para incentivar o OpenRAN, já que a novidade pode permitir maior participação de empresas de software norte-americanas como fornecedores, retomando o espaço perdido no mercado de fornecedores de telecomunicações.



Fonte Teletime

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies