in

os principais eventos que ocorrerão neste ano


Pronto para mais um emocionante ano de observações no céu? 2020 produziu vários eventos astronômicos memoráveis, incluindo um cometa surpresa a olho nu C/2020 F3 NEOWISE, os meteoros Geminídeos e uma conjunção de Júpiter e Saturno completando o ano. A astronomia em 2021 também promete.

Neste ano o Sol também despertou de seu sono, quando o Ciclo Solar #25 (finalmente) chegou ao seu ápice, com a última metade de 2020 produzindo algumas das manchas solares mais maciças dos últimos anos. Espere mais do mesmo em 2021, juntamente com o aumento da atividade da aurora, à medida que caminhamos para o pico do máximo solar de 11 anos em meados de 2025.

Uma mancha solar ao nascer do sol no final de 2020 … mais do mesmo reservado para 2021? (Imagem de Dave Dickinson)

10 eventos importantes eventos da astronomia em 2021

Primeiro, aqui está uma lista curta que apresenta os “melhores dos melhores” eventos para o próximo ano, em ordem cronológica:

A partir de janeiro: época de eclipse mútua para as luas de Júpiter.

17 de abril: Uma ocultação de Marte pela Lua.

26 de maio: Um eclipse lunar total.

10 de junho: Um eclipse solar anular.

23 de junho: Marte cruza o aglomerado de Colméias (M44).

12 de agosto: O pico dos meteoros Perseidas.

18 de agosto: Uma conjunção estreita de Marte e Mercúrio.

10 de outubro: Picos da temporada das fireballs taurídeas.

19 de novembro: Um eclipse lunar parcial.

4 de dezembro: Um eclipse solar total.

Então, o que você pode esperar em 2021? Aqui está nosso olhar anual sobre os principais eventos de astronomia em 2021, chegando a um céu próximo a você:

Ação do eclipse em 2021

2021 contém o número mínimo de eclipses que podem ocorrer em um ano civil com quatro: dois solares e dois lunares.

Os eclipses lunares incluem: Um eclipse lunar total em 26 de maio, com duração máxima de 15 minutos centrado na região da Orla do Pacífico, e um eclipse lunar parcial profundo (97% umbral) em 19 de novembro, favorecendo as Américas, Europa do Norte, Ásia Oriental, Austrália e Pacífico.

Eclipse solar de 2021, astronomia em 2021
O único eclipse solar total em 2021. (NASA / GSFC / AT Sinclair.)

Os eclipses solares em 2021 incluem: um eclipse solar anular em 10 de junho, com duração máxima de 3 minutos e 51 segundos atravessando o Ártico, e um eclipse solar total em 4 de dezembro, com duração máxima de 1 minuto e 54 segundos atravessando a Antártica.

Astronomia em 2021: O Sol e a Lua

O equinócio marca o pico da estação aurora, bem como a extensão do eclipse e da estação do clarão dos satélites geoestacionários, já que os satélites distantes alcançam iluminação total pouco antes e depois de passar para dentro e para fora da sombra da Terra. A estação do equinócio também é um ótimo momento para espionar a esquiva luz zodiacal ao amanhecer ou ao entardecer. Em contraste, os solstícios marcam um período próximo ao qual a Estação Espacial Internacional entra numa faixa de iluminação total, com junho favorecendo o hemisfério norte para múltiplos avistamentos em uma noite, e dezembro favorecendo o sul.

Aqui estão as datas de início sazonal para 2021:

2 de janeiro: A Terra está no perihelion

20 de março: equinócio do norte

21 de junho: solstício ao norte

5 de julho: A Terra está em apneia

22 de setembro: equinócio do sul

21 de dezembro: solstício ao sul

2021 também continua sendo um ano ‘eclíptico’ em termos do caminho da Lua em relação ao plano eclíptico, ao nos dirigirmos para os ‘anos montanhosos’, por volta de 2025. Em 2021, a ‘Super Lua’ ou a Lua Cheia mais próxima do perigeu (mais um eclipse lunar total) ocorre em 26 de maio, e a ‘Minilua’ com a Lua Cheia mais próxima do apogeu ocorre em 19 de dezembro. Uma Lua Azul também ocorre em 22 de agosto.

As fases da Lua em 2021.

Acontecimentos importantes na astronomia em 2021

É sempre divertido ver a Lua cobrir uma estrela ou planeta brilhante enquanto ela tece seu vôo mensal “ao redor do aeroplano eclíptico”. A Lua esconde três planetas sete vezes em 2021: Mercúrio duas vezes, Vênus duas vezes, e Marte três vezes:

17 de abril: Marte encontra uma lua crescente iluminada de 26% para o sudeste asiático.

12 de maio: Vênus vai contra uma lua crescente de 1% iluminada e fina de virada para o Pacífico Sul.

3 de novembro: É a vez de Mercúrio versus uma Lua em crescente iluminada de 2% para o nordeste da América do Norte.

8 de novembro: Vênus se depara com uma lua crescente iluminada de 20% de enceramento para a região noroeste do Pacífico.

3 de dezembro: Marte versus uma lua crescente em declínio iluminada de 1%, para o nordeste da Ásia.

4 de dezembro: Mercúrio contra uma lua crescente iluminada de 1% para a África do Sul.

31 de dezembro: Marte versus uma lua crescente em declínio iluminada de 6%, para o Sudeste Asiático.

A Lua não consegue ocultar uma estrela de +1ª magnitude em 2021, mas visita +3,1 de magnitude Mebsuta (Epsilon Geminorum), +2,6 de magnitude Acrab (Beta Scorpii), +2,8 de magnitude Lambda Sagittarii, e +2,1 de magnitude Sigma Sagittarii em 2021.

Os eventos destacados para a ocultação destas estrelas em 2021 incluem:

26 de janeiro: Epsilon Geminorum para o Sudeste Asiático (96% iluminado, lua gibosa de cera).

5 de fevereiro: Beta Scorpii para a Índia (38% iluminados, lua crescente em declínio).

3 de abril: Lambda Sagittarii para a Austrália e Sudeste Asiático (60% iluminada, lua crescente em declínio).

28 de abril: Beta Scorpii para a África do Sul (97% iluminada, Lua em decadência).

5 de fevereiro: Beta Scorpii para a Índia (38% iluminada, lua crescente em declínio).

3 de abril: Lambda Sagittarii para a Austrália e Sudeste Asiático (60% iluminada, Lua em decadência).

28 de abril: Beta Scorpii para a África do Sul (97% iluminada, Lua em decadência).

22 de julho: Sigma Sagittarii para o norte da África e sudoeste da Ásia (91% iluminado, lua gibosa em declínio).

19 de agosto: Sigma Sagittarii para o sul da América do Norte (89% iluminado, lua gibosa em declínio).

2 de setembro: Epsilon Geminorum para a Europa (21% iluminado, lua crescente em declínio).

Ocultações: Asteroides versus Estrelas

Pequenos asteroides podem, ocasionalmente, passar diante de estrelas distantes, revelando brevemente sua forma à medida que sua “sombra” flui pela superfície da Terra, e sobre qualquer observador diligente que por acaso esteja observando ao longo de seu caminho. Em qualquer ano, são previstas centenas de ocultações de asteroides.

Em 2021, a estrela mais brilhante oculta por um asteroide ocorre em 20 de setembro, já que 762 Pulcova oculta uma estrela de magnitude +7,1 para o México e o sudeste dos Estados Unidos.

Os Planetas em 2021

A dança dos planetas através do céu continua em 2021. Mercúrio e Vênus são interiores à órbita da Terra, e sempre aparecem no céu ao amanhecer ou ao entardecer, correndo para frente e para trás ao redor do Sol. O melhor momento para pegar qualquer um dos mundos é quando eles estão perto do maior alongamento, ou em seu ângulo mais distante em relação ao Sol, como visto da Terra.

Os maiores alongamentos para Mercúrio e Vênus em 2021 são:

23 de janeiro: Mercúrio está a 19 graus a leste do Sol ao anoitecer.

6 de março: Mercúrio está a 27 graus a oeste do Sol ao amanhecer.

17 de maio: Mercúrio está a 22 graus a leste do Sol ao anoitecer.

4 de julho: Mercúrio está a 22 graus a oeste do Sol ao amanhecer.

14 de setembro: Mercúrio está a 27 graus a leste do Sol ao anoitecer.

25 de outubro: Mercúrio está a 18 graus a oeste do Sol ao amanhecer.

29 de outubro: Vênus está a 47 graus ao leste do Sol ao anoitecer.

Também, veja Vênus em 4 de junho, quando passa em frente ao aglomerado aberto Messier 35 ao anoitecer 18 graus a leste do Sol, e percorre Marte através do aglomerado de Colméias (Messier 44) em 3 de julho, 26 graus a leste do Sol ao anoitecer. Marte cruza a M44 em 23 de junho em 24 de junho.

Calendário de eventos de astronomia em 2021
Marte cruza o aglomerado de colmeias. (Stellarium / Universe Today)

Planetas exteriores que orbitam o Sol para o exterior da Terra podem alcançar oposição, elevando-se em oposição ao Sol poente. Este é o melhor momento para observar um determinado planeta, pois ele permanece acima do horizonte durante toda a noite. Na maior parte dos anos, cada um dos planetas exteriores pode chegar a uma oposição. Apenas Marte pode saltar em anos alternados… e 2021 é exatamente um ano assim.

4 de março: 4 Vesta alcança a oposição, na magnitude de +6° na constelação Leo.

17 de julho: Plutão alcança a oposição, a +14º magnitude na constelação Sagitário.

2 de agosto: Saturno atinge a oposição, na magnitude +0,2 na constelação Capricórnio.

20 de agosto: Júpiter alcança oposição, na magnitude -2,9 na fronteira Capricórnio-Aquário.

14 de setembro: Netuno alcança oposição, em magnitude +7,8 na constelação Aquarius.

4 de novembro: Urano atinge a oposição, em magnitude +5,7 na constelação Áries.

27 de novembro: 1 Ceres alcança oposição, com magnitude +7,7 na constelação Taurus.

A temporada de eclipses mútuos para as grandes luas de Júpiter começa no início de 2021, quando as quatro grandes luas galiléias passam uma à frente da outra, fundindo sombras e ocultando-se mutuamente em sua complexa dança orbital. Na verdade, a lua mais interna de Io é unida por uma “lua falsa” em 2 de abril, quando a estrela de +5,9 magnitude 44 Capricorni passa a apenas 0,5″ da lua por volta de ~6:20 EDT/10:20 UT.

Elipses de 2021
Variedades de trânsitos e eclipses das luas de Júpiter. (Dave Dickinson)

Os anéis de Saturno estão inclinados em torno de 18 graus em relação a nossa visão em 2021 com o pólo norte do planeta atualmente inclinado para o sol, e esta inclinação está se estreitando em direção à borda em 2025.

As Melhores Conjunções da astronomia em 2021

A “Grande Conjunção” de Júpiter e Saturno, em 21 de dezembro de 2020 marcou o ano. E muitas conjunções planetárias acontecem todos os anos, proporcionando paramentos celestiais dramáticos à medida que o sistema solar funciona como um relógio. Dizemos ‘conjunção’ quando é um par de dois, e ‘agrupamento’ quando é três ou mais.

Alguns dos melhores emparelhamentos celestiais de 2021 são:

5 de março: Mercúrio-Júpiter 21′ separados ao amanhecer, a 27 graus do Sol.

10 de março: Mercúrio, Júpiter, Saturno e a lua crescente em declínio formam um círculo de 14 graus ao amanhecer, a 14 graus do Sol.

25 de abril: Mercúrio – Venus estão a um grau de distância ao anoitecer, a apenas sete graus do Sol.

12 de maio: Vênus e a fina lua crescente estão a apenas um grau de distância ao anoitecer, a 12 graus do Sol.

11 de julho: Vênus, Marte e a Lua crescente de enceramento se encaixam em um círculo de 3 graus, 29 graus do Sol ao entardecer no céu.

Conjunções astronômicas deste ano
Olhando para o oeste na noite de 11 de julho. (Stellarium / Universe Today)

30 de julho: Marte-Regulus estão separados por 36′, 23 graus ao leste do Sol no céu ao entardecer.

18 de agosto: Mercúrio e Marte estão separados por 4′, 17 graus ao leste do Sol no céu ao entardecer. Esta é a melhor conjunção para 2021.

Todos os anos, os cometas vêm e vão. Enquanto a maioria dos notáveis cometas periódicos seguem órbitas bem conhecidas, novos cometas em trajetórias orbitais medidas em milhares ou milhões de anos podem aparecer sem aviso prévio. Será que 2021 hospedará um “Grande Cometa”? Ninguém sabe ao certo… mas por enquanto, aqui está a lista de aparições de cometas conhecidos a serem observados para o próximo ano:

26 de maio: O cometa 7/P Pons-Winnecke atinge o periélio, brilhando na constelação Aquarius na magnitude de +8º.

13 de julho: O cometa 15P/Finlay atinge o periélio, brilhando a +9ª magnitude na constelação Touro.

21 de agosto: O cometa 8P/Tuttle atinge o periélio, brilhando a +9ª magnitude na constelação Câncer.

17 de setembro: O cometa 6P/d’Arresto atinge o periélio, brilhando a +9º magnitude em Sagitário.

3 de novembro: Cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko atinge o periélio, brilhando a +9ª magnitude na constelação Gemini.

Chuvas de meteoros em 2021

2021 é um “ano de folga” para muitas chuvas de meteoros importantes, incluindo os Geminídeos, os Leonídeos e os Quadrantes, devido à fase de interferência da Lua. Sua melhor aposta em 2021 são as fiéis Perseidas de agosto, com a lua crescente fora de vista.

6 de maio: O pico da Eta Aquariids com uma Taxa Horária Zenital (ZHR) de 50, durante uma Lua crescente iluminada, em declínio, de 23%.

7 de junho: O pico do Arietids diurno com uma ZHR de 30, durante uma lua crescente de 7% iluminada e em declínio.

12 de agosto: O pico dos Perséidas com um ZHR de 100, durante uma Lua crescente com 18% de iluminação e em declive.

10 de outubro: O pico das Taurídeas com um ZHR de 10, durante uma lua crescente de 22% iluminada e em cera (Nota: o cometa fonte 2P/Encke acaba de atingir o periélio em 2020).

3 de dezembro: O pico dos Andromedidas com um ZHR de 20, durante uma lua crescente magra, iluminada a 1%, em declínio.

Isso é o que podemos esperar no belo ano da astronomia que se aproxima em 2021.

Matéria originalmente publicada em Universe Today sob licença CC-BY-NC-ND 4.0. Tradução de Damares Alves.



Fonte Socientifica

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0