Casa Ciências Os pássaros são mais tolerantes ao calor do que se imaginava

Os pássaros são mais tolerantes ao calor do que se imaginava

por Alberto Lima


Um dos maiores riscos do aquecimento global é a morte da fauna. Assim, cientistas sempre se preocuparam em estudar como os animais reagem ao calor. Contudo, até pouco tempo acreditava-se que as aves de climas temperados poderiam sobreviver melhor ao clima quente. No entanto, pesquisadores da Universidade de Illinois descobriram que aves tropicais e aves de áreas temperadas são igualmente tolerantes ao calor.

Os cientistas avaliaram a tolerância de 81 espécies de aves ao calor. Dentre elas, 23 de zonas temperadas e 58 tropicais. Assim, os resultados indicam que todas as espécies têm uma tolerância similar ao calor. No entanto, as aves de zonas temperadas têm adaptações melhores ao calor. Ainda assim, todas as aves mostraram resultados semelhantes em resposta ao aumento da temperatura.

Algumas espécies se saíram melhor do que outras, todavia. As pombas conseguiram resistir ao calor muito melhor do que a média de todas as outras aves.

Pomba selvagem (cleber-melo/Pixabay)

Henry Pollock, primeiro autor do estudo e pesquisador da universidade de Illinois afirma: “Ambas aves temperadas e tropicais foram capazes de tolerar temperaturas em torno dos 40 [°C], mas elas apenas têm contato com temperaturas máximas de 30 em seus ambientes rotineiros, então elas têm uma margem substancial.”

Como as aves aliviam o calor

As aves não podem suar. Essa é uma característica exclusiva de nós, mamíferos. Contudo, elas podem fazer uma coisa parecida. Acontece que a água pode ir para a pele por difusão no corpo das aves. Nos mamíferos isso acontece por glândulas. Enfim, a água precisa absorver calor para evaporar e assim – para aves ou mamíferos – a pele esfria.

Vale lembrar também que o sangue das aves é mais quente que o nosso, em torno dos 40°C. Além disso as aves possuem as penas para desviar a luz solar direta. Muitas aves ainda têm o hábito de tomar banhos para se refrescarem. Algumas aves podem aguentar climas próximos dos 50°C.

(Luidmila Kot/Pixabay)

Esse é um feito tão difícil porque a temperatura é essencial para o funcionamento correto do corpo. Muitas proteínas essenciais, por exemplo, se desnaturam se a temperatura sobe ou cai muito. Além do mais, quando está muito quente o animal precisa queimar muito mais energia para se manter frio. Isso pode aumentar a necessidade de alimento e também levar a acidose nos músculos e no sangue.

Mesmo sendo tolerantes ao calor, o aquecimento global ainda é um problema

A primeira vista os resultados podem ser animadores. Isso porque talvez as aves não sofram tão diretamente com o aquecimento global. Os cientistas afirmam, inclusive, que uma variação de 3 ou 4 graus Celsius no ambiente não representaria um risco iminente para os animais. Todavia, ainda não se sabe o efeito de longo prazo desse aumento de temperatura na vida dos animais.

Insetos e anfíbios têm sangue frio (Frank Winkler/Pixabay)

Contudo, os efeitos indiretos são o problema. Acontece que os animais que mais sofrem com o aquecimento global são aqueles de sangue quente. Nesse sentido, a grande maioria das presas de aves são animais de sangue frio. Dessa forma, a mudança climática pode até não causar baixas diretas na população de aves, mas a falta de comida certamente causará.

O artigo científico foi publicado no periódico Funcional Ecology.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies