Casa Ciências O cérebro do seu cachorro ignora o seu rosto, diz estudo

O cérebro do seu cachorro ignora o seu rosto, diz estudo

por Alberto Lima


Pais e mães de pet adoram ficar admirando os rostos de seus filhotes ou adultos caninos. Mas um novo estudo sugere que o cérebro do cachorro não se impressiona com rostos.

Nem de outros cães, nem de pessoas.

O nosso cérebro é perfeitamente sintonizado com rostos e com a riqueza de informações que as expressões transmitem.

A questão em aberto é se os cérebros de outros animais são vigilantes também nesse sentido.

O estudo explorou como funcionaria o cérebro do cachorro.

Eles não parecem se importar com o seu rosto

Os pesquisadores na Hungria e no México utilizaram a tecnologia de varredura cerebral em 20 cães de estimação para medir a resposta aos rostos.

Esses cães foram treinados para ficarem em posição de esfinge dentro de um tubo de ressonância magnética.

A cabeça deles ficou apoiada em um apoio de queixo, enquanto assistiam uma tela.

Então, os cientistas exibiram quatro tipos de videoclipes de dois segundos para os cães verem.

Eles ficaram observando a parte frontal ou traseira de uma cabeça humana e a parte frontal ou traseira de uma cabeça de cachorro.

Assim, trinta voluntários humanos também viram os mesmos vídeos curtos em máquinas de ressonância magnética.

Muitos estudos anteriores já descobriram que os rostos são cativantes para as pessoas.

VEJA TAMBÉM: Assim como bebês humanos, tartarugas são fascinadas por rostos

Quando mostrado um rosto – de pessoas ou de um cachorro – uma grande parte do sistema visual das pessoas ficou ativa.

Já quando viam a parte de trás de cabeças, as regiões cerebrais ficavam mais silenciosas.

O cérebro fica sem atividade

De outra forma, a parte do cérebro do cachorro que processa a visão não parece se importar com os rostos.

Os pesquisadores relataram esse estudo no Journal of Neuroscience.

a relação entre rostos e cachorros

Portanto, nenhuma área do cérebro teve maior atividade ao ver um rosto em comparação com a parte de trás das cabeças.

Em vez disso, as áreas do cérebro do cachorro estavam mais sintonizadas se o vídeo mostrava um cão ou uma pessoa.

Ainda assim, é preciso cautela ao interpretar o estudo, já que ele mediu as respostas cerebrais, não o comportamento.

Ou seja, os resultados não significam que os próprios cães não se importem nem um pouco com os nossos rostos.

Outros estudos mostram que os caninos podem reconhecer as nossas pistas faciais.

Cognição canina

Esta descoberta se soma a informações obtidas em outros estudos sobre a cognição canina. 

Por exemplo, esse outro estudo já publicado em nosso blog demonstra que os cães ficam interessados em rostos felizes.

Eles liberam o hormônio oxitocina ao verem os nossos rostos sorridentes. Então, a oxitocina pode ser fundamental na interação entre humanos e cachorros.

Outras curiosidades e descobertas sobre os cachorros envolvem o cachorro entender o que falamos.

Ao menos o processamento da comunicação ocorre da mesma maneira entre cães e humanos.

Os dados exibem que os cães processam pistas mais simples e carregadas de emoção. O nível de atenção é bem parecido com o nosso.

Mas, por enquanto, um cálculo completo de como um cachorro experimenta o mundo está além da compreensão humana. Estudo publicado no Journal of Neuroscience.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies