Casa Ciências Novo planeta descoberto do tamanho da terra é apelidado de “pi”

Novo planeta descoberto do tamanho da terra é apelidado de “pi”

por Alberto Lima


Cientistas descobriram um planeta do tamanho da Terra com período de translação de 3,14 dias – próximo à constante matemática pi (π). Devido a essa característica, o planeta foi apelidado de “planeta pi”.

Os primeiros sinais do planeta foram coletados em 2017, durante a missão K2 da NASA, com o Telescópio Kepler.

“Planeta pi” confirmado depois de 3 anos

O novo planeta descoberto se chama oficialmente K2-315b e ele está a 186 anos-luz da Terra. Os pesquisadores o detectaram em 2017, mas a confirmação de que realmente é um planeta aconteceu somente em 2020.

Os pesquisadores do MIT estimam que ele tenha um raio próximo ao da terra – cerca de 0,95 do raio do nosso planeta. No entanto, ele orbita uma estrela fria e pequena, com aproximadamente um quinto do tamanho do sol. O ano do planeta dura 3,14 dias terrestres, e gira a uma alta velocidade de 81 km/s. Isso corresponde a cerca de 2,7 vezes a velocidade da terra – 30 km/s. É o que revelou um artigo publicado no Astronomical Journal intitulado “π Earth” (Terra pi).

Os cientistas suspeitam que K2-315b seja um planeta com superfície terrestre, como a Terra. Mas o planeta pi provavelmente não é habitável, pois o planeta se aproxima muito de sua estrela, durante o curso da órbita. Dessa forma, a temperatura da superfície do planeta pode chegar até por volta de 180 °C.

Um dos autores do estudo, Prajwal Niraula, disse que isso impediria o planeta de ser habitável.

Mas além da curiosa relação com a constante matemática pi, o planeta pode ser interessante também para futuros estudos de atmosfera.

Como eles detectaram o curioso planeta

Os pesquisadores são membros da “Pesquisa por planetas habitáveis ​​eclipsando estrelas ultrafrias” ou SPECULOOS. O projeto tem a finalidade de encontrar planetas semelhantes à Terra em torno de anãs ultrafrias que estejam próximas. Essas são estrelas pequenas e fracas que oferecem aos astrônomos uma chance melhor de localizar um planeta em órbita e caracterizar sua atmosfera.

Assim, eles contam com quatro telescópios que varrem o céu do deserto do Atacama, no Chile. Recentemente, a rede adicionou um quinto telescópio, chamado Artemis – um projeto que foi liderado por pesquisadores do MIT.

LEIA TAMBÉM: O planeta Terra pode ter se formado já úmido

Ao longo de vários meses em 2017, o telescópio Kepler observou uma parte do céu que incluía a anã fria rotulada como EPIC 249631677. Niraula encontrou um padrão de cintilante na luz desta estrela, que se repetia a cada 3,14 dias.

A equipe portanto analisou os sinais, testando potenciais cenários para a origem deles, e disse que vinham provavelmente de um planeta.

Os pesquisadores então planejaram dar uma olhada mais de perto na estrela. Logo, eles apontaram os telescópios do SPECULOOS na direção da estrela e conseguiram ver três trânsitos claros: dois com os telescópios da rede do Hemisfério Sul e o terceiro com Artemis, no Hemisfério Norte.

Então, em setembro de 2020, a equipe finalmente confirmou que, de fato, os sinais vinham de um planeta, usando a rede de telescópios.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies