Casa Ciências Nova tecnologia pode extrair água do ar em climas muito secos

Nova tecnologia pode extrair água do ar em climas muito secos

por Alberto Lima


Pesquisadores do MIT desenvolveram um dispositivo que pode capturar e condensar água limpa do ar em locais com clima seco. Eles divulgaram o modelo movido a energia solar, que consiste em um protótipo, na revista Joule.

Escassez de água no futuro?

Com o agravamento das mudanças climáticas, as pessoas têm se perguntado sobre a disponibilidade de água no futuro. É um problema sério, e mesmo hoje a água potável gratuita pode ser uma benção para pessoas que vivem regiões secas.

No futuro, a água potável pode se tornar um recurso mais escasso, e muitas pessoas poderão a sofrer com isso. Frente a isso, novas ideias e tecnologias para adquirir água são muito bem-vindas.

“Em áreas onde a escassez de água é um problema, é importante considerar diferentes tecnologias que forneçam água, especialmente porque a mudança climática agravará muitos problemas de escassez de água”, disse Alina LaPotin, autora do estudo, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

VEJA MAIS: Em minutos esta tecnologia transforma água salgada em potável

A escassez de água no futuro poderá aumentar os riscos de conflitos no mundo, de acordo com especialistas. Apesar da quantidade de água disponível ser constante, a demanda crescente – em um mundo em crescimento acelerado – cria um cenário de incertezas. Estudiosos dizem que a demanda mundial de água poderá aumentar em mais de 50% nos próximos 50 anos.

O dispositivo que consegue água até em desertos

A tecnologia é movida a energia solar, e usa uma diferença de temperatura para trazer a água do ar para os materiais adsorventes do dispositivo. Em seguida, ele condensa a água e a despeja dentro de um recipiente.

(MIT)

Esse método de fato já existia, mas agora os pesquisadores aprimoraram a tecnologia, tornando-o um dispositivo de duplo estágio – adicionaram um segundo estágio de adsorção-dessorção. Além disso, os pesquisadores tentaram usar materiais mais disponíveis para construir o modelo.

Com o estágio duplo, o dispositivo pode extrair água em umidades tão baixas quanto 20%. Ou seja, ele pode funcionar em climas bastante secos.

Durante a noite, quando não há Sol para aquecer o dispositivo, a água do ar é puxada para a camada adsorvente. À medida que o Sol nasce e aquece a placa térmica no topo, a diferença de temperatura entre a placa exposta e o lado sombreado de baixo retira então água do material adsorvente e a coloca em um recipiente.

Já aplicar a tecnologia?

De qualquer forma, o sistema requer mais ajustes para aumentar a produção e reduzir custos, antes de ser comercializado. O dispositivo pode produzir 0,8 litros de água por dia, o que ainda está abaixo da quantidade que um ser humano precisa.

Produzir água suficiente para sustentar uma população está ficando cada vez mais difícil para muitas nações em todo o mundo. Áreas como a Califórnia estão experimentando alguns de seus anos mais secos da história. A falta de água doce poderá portanto atingir até mesmo áreas mais ricas nos próximos anos.

Mas os pesquisadores estão otimistas em relação ao seu protótipo. Ele representa, por fim, um engenho que poderá ajudar na produção de água no futuro.

O artigo científico foi publicado no periódico Joule.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies