Casa Tecnologia Nokia tem queda de receita e promove mudança com foco total em 5G

Nokia tem queda de receita e promove mudança com foco total em 5G

por Alberto Lima


A Nokia apresentou crescimento no lucro no terceiro trimestre deste ano, conforme apresentou em balanço financeiro divulgado nesta quinta-feira, 29. Mas a receita voltou a cair, e a previsão para o ano que vem não é exatamente positiva. Por isso, a empresa vai promover uma transformação com foco total de investimentos no 5G, além do OpenRAN.

Em comunicado, o presidente e CEO da fornecedora finlandesa, Pekka Lundmark, afirmou que o progresso feito “não é suficiente”. A queixa se deve a uma perda de mercado nos Estados Unidos (onde a receita da empresa caiu no trimestre, agora representando o segundo maior mercado para a fornecedora), o que resultou em pressão das margens. “Nosso desempenho financeiro em 2021 deverá ser desafiador, e mais mudanças são necessárias”, declara. 

Lundmark também afirma que precisará aumentar investimentos em pesquisa e desenvolvimento em 5G. “De fato, decidimos investir o que for necessário para ganhar no 5G. Nossos clientes estão contando conosco e nós estaremos aqui para eles”, afirmou o executivo. 

Para tanto, a companhia anunciou também que promoverá mudanças no modelo operacional. A ideia é migrar do princípio estratégico de operação fim a fim para uma “abordagem mais focada com cada grupo de negócios tendo um papel distinto em nossa estratégia abrangente”. Com isso, a Nokia espera melhorar a responsabilidade e transparência, aumentando a simplificação e a eficiência de custos. Mais detalhes sobre a mudança serão divulgados em dezembro e em março de 2021.

OpenRAN

A Nokia vê com a mesma importância o que acredita ser uma oportunidade para liderança: o modelo de rede como serviço, possível com as redes de acesso abertas (OpenRAN) e virtualizadas. “Esta visão vai levar tempo para virar uma realidade, mas a Nokia está bem posicionada para ganhar dada a nossa experiência profunda em entregar desempenho de rede para nível de operadoras e trabalho extensivo com companhias e empresas digitais”, afirma. 

Vale lembrar que o governo dos Estados Unidos assumiu publicamente compromisso de investir nas tecnologias OpenRAN para tentar brigar com a chinesa Huawei no mercado de infraestrutura de telecomunicações. Porém, o posicionamento norte-americano tem objetivo também de eles próprios serem líderes.

Resultado

A receita da companhia foi de 5,294 bilhões de euros, uma queda de 7% no comparativo anual. No acumulado de três trimestres, foi uma queda igual, mas com total de 15,299 bilhões de euros. A maior parte vem da área de redes, que também teve o mesmo percentual de redução no trimestre e no acumulado, ficando co respectivamente 4,112 bilhões de euros e 11,825 bilhões de euros respectivamente. 

Exceto Europa (o maior mercado, com 1,685 bilhão de euros e avanço de 4%)  e Oriente Médio/África, todas as regiões apresentaram queda para a Nokia no trimestre. Na América do Norte, a companhia caiu 3% e encerrou setembro com 1,651 bilhão de euros, perdendo o posto de maior mercado para a fornecedora. No acumulado do ano, a redução foi de 1%, total de 4,830 bilhões de euros.

Em particular, a América Latina foi a que caiu mais: 35%, somando 223 milhões de euros. No acumulado do ano, foram 720 milhões, redução de 28%. 

O lucro da empresa (não IFRS) foi de 305 milhões de euros, um aumento de 14%. De janeiro a setembro, foi de 653 milhões de euros, avanço de 60%. O lucro bruto ficou estável no terceiro trimestre, somando 1,976 bilhão de euros. Considerando o período de nove meses, houve avanço de 3%, total de 5,760 bilhões de euros. 

Já o lucro operacional aumentou 33% nos três meses, ficando em 350 milhões de euros. O acumulado observou uma reversão do prejuízo operacional do ano anterior, encerrando setembro deste ano com 444 milhões de euros positivos. 

Vale notar que a área de redes mais do que dobrou o lucro operacional entre julho e setembro, ficando com 263 milhões de euros. Também foi responsável por um resultado positivo de 431 milhões de euros na soma dos três trimestres, contra um prejuízo de 7 milhões de euros em igual período de 2019. Mas a área de software mostrou queda de 44% no trimestre e de 14% no acumulado, somando 87 milhões de euros e 246 milhões de euros, respectivamente. 



Fonte Teletime

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies