neste vídeo incrível caracóis ‘voam’ pelo oceano


Bilhões de caracóis marinhos, Limacina helicina, vivem nos oceanos da Terra. Todos os dias eles viajam das profundezas até as águas superficiais onde se alimentam durante as noites. Eles são conhecidos como borboletas do mar, capazes de bater suas asas debaixo d’água.

Os caramujos possuem uma casca pesada que os faz afundar quando estão estáticos. Agora, pesquisadores descobriram que o formato as conchas é essencial para que consigam cruzar o mar. Aliás, você vai conferir um vídeo incrível sobre este “voo”.

Borboletas do mar voam pelo oceano conforme suas asas permitem

Os caracóis marinhos são responsáveis por 12% ou 13% do fluxo global de carbonato. Quando suas conchas de cálcio afundam nas profundezas, contribuem para a acidificação dos oceanos. Eles são difíceis de estudar, complicados de manter em laboratórios.

Uma equipe de oceanógrafos e engenheiros especializados em pesquisas filmou os movimentos realizados pelos caracóis marinhos. Foi possível perceber que cada espécie tem um jeito diferente de nadar e afundar. Aliás, isso muda conforme o estilo da concha, o tamanho do corpo e a presença das “asas”.

“Queríamos responder como o comportamento de natação desses belos animais é afetado por suas diferentes formas e tamanhos de conchas. Descobrimos que as espécies com uma concha em forma de asa de avião nadam mais rápido e são mais manobráveis ​​do que aquelas com forma de caracol conchas”, diz o autor David Murphy, professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade do Sul da Flórida.

Entre 2017 e 2019 os pesquisadores capturaram diversos caramujos marinhos, na região das Bermudas. O destino deles era um aquário de água salgada. Assim, os pesquisadores puderam calcular a velocidade absoluta usada por cada espécie em relação ao tamanho do corpo. Dessa forma, perceberam que cada espécie tem um padrão de natação.

Caracóis marinhos podem ajudar na compreensão dos insetos

Avaliar os traços das asas das borboletas do mar pode nos ajudar a compreender o voo dos insetos. As moscas-das-frutas, por exemplo, batem suas asas 200 vezes por segundo. Enquanto isso, os caracóis marinhos são muito mais lentos. Suas asas não batem muito mais do que cinco vezes por segundo.

“Pudemos ver os vórtices nas pontas das asas do animal enquanto ele faz isso”, diz Murphy. Perceberam ainda que costumam lançar o corpo para a frente conforme voam debaixo d’água. Enquanto isso, os insetos mantêm seus corpos na mesma posição.

No total, o estudo avaliou sete espécies conhecidas por borboletas do mar. Elas voam num padrão de oito, semelhante aos insetos. Conforme o pesquisador, esse movimento pode ajudar o animal, que não precisa mover as asas a cada braçada. Quando o dia termina, afundam novamente nas profundezas dos mares.

Eles chegaram a números interessantes usando um sistema de computador e avaliando animais que vivem até 1000 metros de profundidade. Os pesquisadores indicaram que os caracóis viajam entre 50 metros e 300 metros por dia, num trajeto vertical. Essa viagem pode durar até 7 horas.

Com informações de New Scientist, Live Science e EurekAlert.

Queremos nos tornar a maior referência em educação científica do Brasil e na língua portuguesa. Para isso, precisamos pagar os melhores jornalistas, revisores e freelancers de ciência. Fazendo uma doação mensal em nosso , você nos ajuda a nos manter independentes e continuar o nosso trabalho sem percalços. 



Fonte Socientifica