Casa Ciências Lagos de água salgada encontrados no subterrâneo de Marte

Lagos de água salgada encontrados no subterrâneo de Marte

por Alberto Lima


Sim, há lagos de água salgada em Marte. Dois anos atrás, cientistas animavam-se com a descoberta de um lago subterrâneo em Marte. No entanto, deve haver ainda mais lagos.

A água líquida é um dos principais pré-requisitos para a existência de vida – ou pelo menos a vida como conhecemos. A água exerce um papel fundamental em diversos processos biológicos. Embora existam alguns substitutos hipotéticos, nunca encontramos algum ser vivo independente de água.

Portanto, a existência de lagos de água salgada em Marte indicam uma possível evidência de locais para a existência de vida no passado, ou até mesmo nos dias atuais. 

Na ocasião da descoberta em 2018, a água estava abaixo da calota polar sul de Marte, ou seja, abaixo do gelo. Eles detectaram o lago através de dados da sonda Mars Express, da Agência Espacial Europeia (ESA).

Fenômenos semelhantes ocorrem na Terra, e lagos formam-se abaixo de calotas polares, causado quando o calor e a pressão exercidos pelo solo derretem o gelo subterrâneo. 

No entanto, ainda há um ponto. Como a atmosfera de Marte é bastante rarefeita e o planeta é muito frio, a água não consegue permanecer em estado líquido na superfície.

Até mesmo no subterrâneo é difícil. Portanto, para diminuir a temperatura de congelamento, a água precisa estar bastante salgada. Então esses lagos são verdadeira salmouras. Além disso, Marte não é mais geologicamente ativo, e não se sabe se ele poderia produzir o calor suficiente para a formação desses lagos.

Em um estudo publicado ao final de setembro na Nature Astronomy, uma equipe de cientistas defende a existência de múltiplos lagos salgados abaixo da superfície marciana.

Buscando por lagos de água salgada

“Identificamos o mesmo corpo d’água [o de 2018], mas também encontramos três outros corpos d’água ao redor do principal”, diz a co-autora Elena Pettinelli em um comunicado. “É um sistema complexo”.

Os lagos estão abaixo da calota polar. (Imagem: USGS Astrogeology Science Center, Arizona State University, INAF).

Eles utilizaram também dados do o Mars Express. Mais especificamente, o instrumento Mars Advanced Radar for Subsurface and Ionosphere Sounding (MARSIS).

Em resumo, o MARSIS funciona através de ondas de rádio. Ele envia essas ondas, que são refletidas, e parte penetra. As ondas que penetram refletem de acordo com os detalhes do subsolo. Por meio desses dados é possível analisar a morfologia e composição interna.

Eles descobriram, então, que esses lagos estão distribuídos em uma área de 75 mil quilômetros quadrados. Isso equivale a área do estado do Alagoas somada ao Espírito Santo, aproximadamente, ou metade da área do Uruguai. O maior lago possui 30 km de diâmetro.

Vida?

Para sustentar vida, um lago deve ter no máximo 5 vezes a concentração de sal média dos oceanos da Terra. No entanto, os lagos de Marte possuem 20 vezes esse valor. A antártica também possui alguns lagos semelhantes.

“Não há muita vida ativa nessas poças salgadas da Antártica”, diz John Priscu, cientista ambiental da Montana State University. “Eles estão apenas em conserva. E esse pode ser o caso [em Marte]”

“Se o material brilhante realmente for água líquida, acho que é mais provável que represente algum tipo de lama ou lama”, explica Mike Sori, geofísico planetário da Universidade Purdue, EUA.

O estudo foi publicado na Nature Astronomy. Com informações de Astronomy Magazine e Nature News.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies