Fonte do vazamento de ar em estação espacial ainda não foi encontrada


Conforme noticiamos há duas semanas, a NASA está rastreando a origem de um vazamento de ar na Estação Espacial Internacional.

Um pequeno vazamento de ar é considerado normal, mas a taxa aumentou e os controladores da missão mostraram um maior empenho em descobrir a fonte do ar extra que está escapando.

Coleta de dados na Estação Espacial

membros da expedição NASA

A busca pela fonte do vazamento de ar está demorando mais do que o esperado, disse o porta-voz da NASA Daniel Huot ao Business Insider na semana passada.

Huot acrescentou na terça-feira que as equipes técnicas ainda estavam revisando os dados coletados pela tripulação.

Por isso, já descartaram a maioria dos módulos da estação e devem concluir essa revisão nos próximos dias.

Se os especialistas ainda não conseguirem identificar o vazamento depois disso, ele disse, a equipe precisará de um novo plano de ação.

Normalmente, o pouco de ar que a estação espacial perde pode ser substituído nas missões de reabastecimento, com lançamento de grandes tanques altamente pressurizados cheios de nitrogênio e oxigênio.

Mas, se esse pequeno vazamento de ar se tornar grande, esses tanques podem não ser capazes de repor o ar com rapidez suficiente.

A partir da descoberta desse vazamento e aumento da preocupação, os membros da tripulação e equipes em solo monitoraram a pressão do ar em cada seção para descobrir qual estaria vazando.

Originalmente, a NASA pensava que especialistas americanos e russos encontrariam o vazamento dentro de uma semana, mas não foi isso que aconteceu.

Então, as equipes decidiram ficar mais alguns dias coletando dados das escotilhas, disse Huot.

Preocupação com a tripulação ou segurança do veículo

Ainda assim, ele acrescentou, o vazamento ainda é muito pequeno para ser uma ameaça à tripulação ou à estação agora.

A taxa de vazamento é estável e bem abaixo das especificações do projeto para a estação.

Huot deixa claro que não há motivo para preocupação com a segurança da tripulação ou do veículo.

E, no caso de uma emergência na estação espacial, os membros da tripulação podem retornar à Terra com a nave Soyuz MS-16 que está ancorada lá.

Em um cenário menos extremo, a tripulação também poderia cortar o módulo com vazamento e isolá-lo.

Este não é o primeiro vazamento na estação e nem o mais assustador.

Em agosto de 2018, membros da tripulação descobriram um orifício de perfuração de 2 milímetros em parte da nave russa Soyuz MS-09 que estava ancorada na época.

Esse buraco parecia um defeito de fabricação.

Então, em dezembro de 2018, dois cosmonautas flutuaram para o exterior da nave Soyuz para estudar o buraco em detalhes.

Eles ficaram quase oito horas cortando o isolamento com uma faca para encontrá-lo e documentá-lo.

Depois, a tripulação da estação espacial consertou o buraco com um selante epóxi.

Informações de Business Insider.

Queremos nos tornar a maior referência em educação científica do Brasil e na língua portuguesa. Para isso, precisamos pagar os melhores jornalistas, revisores e freelancers de ciência. Fazendo uma doação mensal em nosso , você nos ajuda a nos manter independentes e continuar o nosso trabalho sem percalços. 



Fonte Socientifica