Casa Ciências Estudo indica que o Coronavírus pode durar 28 dias em superfícies

Estudo indica que o Coronavírus pode durar 28 dias em superfícies

por Alberto Lima


Uma nova pesquisa sobre o novo Coronavírus sugere que o vírus pode durar até 28 dias em superfícies. O estudo foi publicado por pesquisadores da Austrália.

Resistência por até 28 dias

Além dos aerossóis e das gotículas de saliva, as pessoas devem também se preocupar com o que tocam. E é exatamente o que este estudo está lembrando: devemos lavarmos as mãos com frequência e ter cuidado com a situação ao nosso redor.

Os pesquisadores pegaram uma cepa contendo o novo Coronavírus, SARS-CoV-2, e colocaram sobre uma solução que imita o muco humano. Os cientistas estimam que a concentração final de vírus na solução seja em torno da quantidade que um paciente COVID-19 com alta carga viral apresenta.

Ao fazer um estudo de resistência do vírus em superfícies como vidro e notas de banco, a equipe se surpreendeu: o vírus permaneceu por até 28 dias na maioria das superfícies a 20 ° C, com exceção do algodão.

Uma das pesquisadoras do CSIRO, Debbie Eagles, esclareceu um pouco os resultados do estudo.

“A 20 ° C, que é aproximadamente a temperatura ambiente, descobrimos que o vírus era extremamente robusto, sobrevivendo por 28 dias em superfícies lisas, como vidros encontrados em telas de telefones celulares e notas de plástico”, disse Debbie Eagles.

Para ter uma noção, o vírus Influenza A sobrevive em superfícies por 17 dias. Portanto, conseguimos perceber o quão resistente é o vírus SARS-CoV-2.

Um estudo ainda limitado

Apesar de que em locais com temperaturas mais elevadas não houve menor propagação do SARS-CoV-2, o vírus não sobreviveu, no estudo, por muito tempo em temperaturas mais altas.

Além disso, os pesquisadores mantiveram todas as amostras no escuro para reduzir o impacto da luz ultravioleta. Por isso, essas descobertas podem não corresponder às situações reais em condições diferentes.

VEJA MAIS: Metade dos pacientes recuperados da Covid-19 sofrem fadiga persistente

Ainda não sabe, no entanto, quanto do vírus é necessário para deixar uma pessoa doente. Os pesquisadores estavam analisando quantidades de vírus dez vezes reduzidas; após 28 dias, a quantidade capaz de causar infecção diminuiu bastante. Por isso, ainda não se sabe se a quantidade de vírus nessas superfícies após o período de 28 dias seria suficiente para deixar uma pessoa doente.

“Ainda que o papel da transmissão de superfície, o grau de contato de superfície e a quantidade de vírus necessária para a infecção ainda não tenham sido determinados, estabelecer por quanto tempo esse vírus permanece ativo em superfícies é fundamental para o desenvolvimento de estratégias (…) em áreas de alto contato”, disse Debbie Eagles.

Assim, as medidas para proteção contra a SARS-CoV-2 continuam sendo máscara, ficar longe de aglomerações e lavar as mãos regularmente. Além disso, a limpeza de superfícies como vidro também é muito importante.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies