Casa Ciências Como os carrapatos podem ser ainda mais perigosos que os mosquitos

Como os carrapatos podem ser ainda mais perigosos que os mosquitos

por Alberto Lima


Os carrapatos são pequenos aracnídeos parasitas. Eles podem picar diversos mamíferos, incluindo animais domésticos e até mesmo humanos. Contudo, esses artrópodes podem causar problemas mais sérios do que uma simples picada. Eles não têm veneno ou toxina, mas em geral podem carregar dezenas de vírus, bactérias e protozoários. Ou seja, os carrapatos são grandes vetores de doenças, tanto quanto os mosquitos.

O Aedes aegypti (mosquito-da-dengue), por exemplo, é um dos maiores vetores de doenças tropicais no mundo. As fêmeas podem transmitir a Dengue, Zika Vírus, Febre Amarela e Chikungunya. Só no Brasil tivemos em torno de 780 mil casos de dengue até agora em 2020.

(Imagem de WikiImages por Pixabay)

No entanto, os carrapatos estão ficando tão perigosos quanto os mosquitos. Eles transmitem doenças como a Doença de Lyme, Bebesiose e a Febre Maculosa, dentre muitas outras. Muitas dessas doenças, inclusive, podem ser fatais. Apesar disso, os carrapatos não costumam picar seres humanos. Em geral eles buscam mamíferos menores como cães ou cervos.

No Brasil, ainda, o carrapato-estrela é o principal responsável pela transmissão de Febre Maculosa. Essa doença pode causar sérios problemas para rebanhos de gado, além de causar sintomas sérios em humanos.

Os carrapatos se alimentam do sangue de mamíferos

Como dito antes, os carrapatos são parasitas. Basicamente isso quer dizer que eles dependem dos recursos de outro organismo para sobreviver. Assim, esses aracnídeos sugam o sangue das suas presas. Dessa forma eles conseguem os nutrientes que precisam para sobreviver e se reproduzirem.

Todavia, o problema é que um carrapato pode parasitar muitos animais diferentes. Ou seja, o mesmo carrapato que sugou o sangue de um rato pode ter contato, mais tarde, com um ser humano. Dessa forma os carrapatos fazem uma ponte para doenças entre diversos organismos diferentes.

A cidade de Curitiba, por exemplo, tem uma grande população de capivaras no Parque Barigui. Contudo, as capivaras são alvo dos carrapatos-estrela. Assim, os parasitas podem transmitir a Febre Maculosa das capivaras para animais domésticos, caso o animal não seja vacinado. Para os seres humanos existe,a demais, vacina para a Febre Maculosa, apesar dos casos serem poucos.

(Imagem de Elsemargriet por Pixabay)

Nos Estados Unidos, por outro lado, os carrapatos vêm causando novos surtos da Doença de Lyme. Essa doença causa sintomas parecidos com os da gripe, além de dores em músculos e nervos. A cada ano, em torno de 30 mil novos casos de Doença de Lyme são reportados ao CDC. Contudo, acredita-se que esse número possa ser até dez vezes maior devido a muitos casos não relatados.

Cuidado e prevenção

Os maiores afetados pelos carrapatos, em geral, são os animais domésticos. Por isso mesmo é bastante importante manter a carteira de vacinação de cães e gatos sempre em dia. Além do mais, é importante que o animal receba um banho sempre que tiver contato com lugares onde possa haver carrapatos (como grama alta).

(Imagem de Enirehtacess por Pixabay)

Para os humanos também vale sempre checar por picadas após entrar em contato com esses ambientes. Além do mais, caso haja algum sintoma é necessário procurar um médico para aplicar o melhor tratamento às possíveis doenças transmitidas.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies