Casa Esportes Coluna – Da neve para a água

Coluna – Da neve para a água

por Alberto Lima


As restrições para viagens internacionais, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), atrapalharam os planos de André Cintra. O paulista de 40 anos compete no snowboard paralímpico e pretende buscar a classificação à Paralimpíada de Inverno de 2022, em Pequim (China). Sem ter como ir a países onde há neve no momento, ele teve que adaptar os treinamentos no Brasil. A saída foi praticar kitesurfe, modalidade em que o atleta é arrastado por uma pipa e desliza na água.

André passou quatro dias em uma expedição no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, a cerca de 260 quilômetros da capital São Luís. O parque de 155 mil hectares se encontra em uma zona que é influenciada por biomas do Cerrado, Caatinga e Amazônia; com áreas de restinga, lagoas e o maior campo de dunas do Brasil. O terreno de preservação ambiental abrange as cidades Primeira Cruz, Barreirinhas e Santo Amaro – por onde, aliás, o o snowboarder iniciou a jornada.

Improviso não é exatamente novidade para atletas brasileiros que competem na neve. “Sempre utilizei o kitesurfe [para adaptar os treinos do snowboard]. Embora sejam modalidades completamente diferentes, são esportes de prancha, nos quais você tem que ter uma dinâmica parecida com a prótese e o equilíbrio do centro do corpo. Então, é super importante treinar em prancha”, explica André, detalhando as principais diferenças – além, claro, do ambiente – entre as práticas.

“Um [kitesurfe] te puxa reto, o outro [snowboard] te coloca inclinado para baixo na montanha. O snowboard é muito mais veloz e você cai no gelo, então a probabilidade de se machucar é maior. No kite, você cai na água, então é uma diferença grande. O posicionamento do corpo e o movimento de joelho também são diferentes, mas o kite ajuda bastante [no treino]”,  completa o atleta, que além do kitesurfe convencional, velejou sem as quilhas a bordo de um trenó, nas dunas.

O paulista teve que amputar a perna direita acima do joelho aos 17 anos, devido a um acidente de moto em Santos (SP), onde morava. Apesar disso, a paixão por esportes de aventura não arrefeceu. Dois meses depois, André embarcou para fazer rafting no Nepal. Conheceu modalidades como esqui aquático, wakeboard e o próprio kitesurfe. Como não havia próteses adequadas às práticas na água, ele próprio as planejava, entre tentativas e quedas e ajustes no equipamento

O snowboard entrou na vida de André em 2010, quando viajou com amigos para o Chile. Lá, percebeu que precisaria de próteses específicas também para esquiar. O que começou como hobby se transformou em carreira pouco tempo depois. Em 2013, ele foi o primeiro atleta brasileiro a se garantir em uma Paralimpíada de Inverno. No ano seguinte, estreou nos Jogos de Sochi (Rússia) com um 28º lugar. Quatro anos depois, na edição em Pyeongchang (Coreia do Sul), obteve a décima colocação.

PyeongChang2018 - André Cintra - snowboard cross - Jogos de Inverno

Em sua segunda participação em Jogos de Inverno, em PyeongChang (Coréia do Sul), André Cintra conquistou a décima posiçãor – Marcio Rodrigues/MPIX/CPB/Direitos Reservados

André disputa na classe LL1 (atletas com deficiência em membros inferiores ou amputações acima do joelho). Se conseguir vaga nos próximos Jogos de Inverno, marcados para o período de 4 a 13 de março de 2022, o brasileiro descerá as montanhas do Gentin Snow Park, na cidade de Zhangjiakou (China), que fica na província de Hebei, a 198 quilômetros da capital Pequim. O parque sediará as provas olímpicas e paralímpicas do snowboard. O Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês), inclusive, divulgou um vídeo com o estágio das obras nos locais de competição.

O brasileiro ainda não tem previsão de quando voltara às provas do circuito mundial de snowboard paralímpico. Pelo site do IPC, o calendário oficial começa em dezembro, na Finlândia, seguindo para Irã, Suécia e Canadá. Já em fevereiro, em Lillehammer (Noruega), ocorre o Campeonato Mundial de Esportes Paralímpicos de Neve.





Fonte EBC

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies