Casa Ciências Cogumelos alucinógenos 4 vezes mais eficazes do que antidepressivos comuns?

Cogumelos alucinógenos 4 vezes mais eficazes do que antidepressivos comuns?

por Alberto Lima


Um estudo publicado no JAMA Psychiatry acredita que a psilocibina, uma substância encontrada nos cogumelos alucinógenos, melhora os sintomas da depressão severa de forma rápida e em grande medida.

A magnitude do efeito da psilocibina é cerca de quatro vezes maior do que os ensaios clínicos mostraram para os antidepressivos do mercado, disse Alan Davis. Ele é professor de psiquiatria e ciências comportamentais do Johns Hopkins University e um dos autores do estudo.

Os resultados foram obtidos de 24 pacientes apresentando sintomas depressivos persistentes no período de dois anos antes do ingresso ao estudo. Desses voluntários, 71% observaram uma redução de mais de 50% nos sintomas de depressão após quatro semanas, disse o estudo. E 54% foram considerados “em remissão” após um mês.

Psilocibina como tratamento

O estudo tem um tamanho pequeno e não foi realizado com a comparação do placebo, mas a psilocibina parece ter sido confirmada como um antidepressivo ou para tratamentos de ansiedade.

A psilocibina (substância ativa de alguns cogumelos) é estudada desde a década de 50. Imagem: Pixabay

Portanto, seus efeitos benéficos em psiquiatria são explorados há muito tempo. Por exemplo, em 2017, um estudo do Imperial College London mostrou que cogumelos alucinógenos “reiniciam” o cérebro dos pacientes com depressão. Após, altera a conectividade e o fluxo sanguíneo.

O estudo do Imperial College London foi publicado no jornal britânico The Lancet Psychiatry. Foi a primeira vez que a psilocibina foi testada como tratamento em potencial da depressão, disse Robin Carhart-Harris, que liderou o estudo.

A depressão é um importante problema de saúde pública e afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Muitas vezes, é uma doença resistente aos tratamentos já utilizados (antidepressivos e psicoterapia).

De acordo com a pesquisa, um em cada cinco pacientes não responde aos tratamentos atuais. Ao mesmo tempo que muitos primeiro melhoram a sua condição, depois sofrem uma recaída.

Estudo da psilocibina

Os pesquisadores começaram a estudar a substância ativa psilocibina, presente em certos cogumelos alucinógenos, na década de 1950.

cogumelos
Imagem: Pixabay

Em 2008, cientistas americanos demonstraram o resultado de efeitos duradouros de bem-estar psíquico e sensação de plenitude. Ou seja, os levou a acreditar que o alucinógeno ajuda alguns pacientes com ansiedade e que tenham câncer ou pacientes com depressão.

Já pesquisadores britânicos testaram a psilocibina em 12 pacientes com depressão moderada a grave por mais de 15 anos. Depois de um tratamento de dois dias, os voluntários foram acompanhados durante três meses. Segundo esse teste, os efeitos psicodélicos foram observados entre 30 e 60 minutos após a ingestão das cápsulas. O pico do efeito aconteceu duas a três horas depois.

LEIA TAMBÉM: Supercomputador ajuda a criar uma cura para a depressão

Concluindo, uma semana depois, todos os 12 pacientes apresentaram melhora e 8 estavam em remissão. Após três meses, 5 ainda estavam em remissão.

Embora esses resultados indiquem um efeito terapêutico proveniente da psilocibina, os pesquisadores alertam que foram poucos os pacientes testados. Portanto, não se deve tirar conclusões precipitadas sobre esses efeitos. Mas a pesquisa deve continuar.

Até porque, mediante a relutância de autorização da cannabis terapêutica, o caminho para a comercialização da psilocibina será longo.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies