Casa Ciências Chip de computador com camadas finas funciona como os neurônios

Chip de computador com camadas finas funciona como os neurônios

por Alberto Lima


O chip de computador tradicional utiliza áreas separadas para fazer cálculos e armazenar dados. Mas, pela primeira vez, uma nova pesquisa combinou essas áreas em um material 2D, o que pode resultar em materiais menores, mais poderosos e eficientes em termos de energia.

Tecnicamente, a combinação é conhecida como arquitetura lógica na memória ou arquitetura única. Ou seja, as operações lógicas são combinadas com as funções da memória. Isso economiza o tempo e a energia necessários ao passar dados entre os estágios de processamento e armazenamento.

Os chips de arquitetura única iniciais foram desenvolvidos sem material 2D (dissulfeto de molibdênio ou MoS 2). Porém, sendo um excelente semicondutor com somente três átomos de espessura, o MoS 2 provou ser o material ideal para o trabalho.

Imitação da abordagem dos neurônios no cérebro humano

Os cientista por trás da inovação contaram que o dispositivo pode ser particularmente útil em inteligência artificial, como em carros autônomos e alto-falantes inteligentes com reconhecimento por voz. Logo, ele imita o tipo de abordagem que os neurônios usam em nosso cérebro.

(EPFL / LANES)

Em síntese, o engenheiro elétrico Andras Kis, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia (EPFL), explicou que a capacidade dos circuitos de realizar duas funções é semelhante à forma como o cérebro humano funciona. Os neurônios estão envolvidos tanto no armazenamento de memórias, quanto na realização de cálculos mentais.

Portanto, o projeto tem diversas vantagens, conforme ele relatou. Será possível reduzir a perda de energia associada na transferência de dados entre unidades de memória e processadores, diminuir o tempo necessário em operações de computação e a quantidade de espaço necessária também.

Em termos de construção, o novo chip é configurado em transistores de efeito de campo de porta flutuante, ou FGFETs. Eles já são utilizados para armazenamento em telefones e laptops e conhecidos por reterem cargas elétricas durante longos períodos.

Material MoS 2

O MoS 2tem sido estabelecido como um material brilhante para a eletrônica. É sensível o suficiente para trabalhar em conjunto com os FGFETs e ’empacotar’ várias funções de processamento dentro de circuitos únicos.

material MoS2
MoS 2. Foto: EPFL

Esse conjunto permite que os circuitos funcionem como unidades de armazenamento de memória e transistores programáveis. Como de costume, o trabalho em laboratório demora até ser convertido em um formato que seja adequado aos sistemas e dispositivos comerciais.

Mas a equipe desenvolvedora tem experiência em expansão das tecnologias de produção de chips. Cada vez mais os nossos gadgets – de câmeras de segurança a sinais de trânsito, precisam de inteligência extra. Não apenas para armazenar informações, mas para processá-las e tomar decisões inteligentes ao longo do caminho. Ainda mantendo o consumo de energia baixo.

Enfim, para atender essas demandas, não basta descobrir a física dos chips de computador, mas também encontrar os materiais certos para torná-los realidade, como a pesquisa fez.

Em consequência, imitar o cérebro humano é uma abordagem muito boa quando se trata de inteligência artificial. A integração direta de memória e lógica aumenta a velocidade de processamento e abre caminho para a realização de circuitos com eficiência energética.

A pesquisa foi publicada na Nature .



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies