Casa Ciências Chimpanzés se concentram em amizades de qualidade na velhice

Chimpanzés se concentram em amizades de qualidade na velhice

por Alberto Lima


Os chimpanzés machos seguem um padrão também observado nos humanos, conforme vão envelhecendo. Pesquisadores perceberam que chimpanzés mais velhos preferem ter relacionamentos com apenas alguns amigos.

Antes de mais nada, o comportamento gregário dos humanos vai diminuindo com a idade. O novo estudo com chimpanzés pode nos ajudar a entender porque a tendência dos homens em muitas culturas é ter esse comportamento socioemocional.

Dra. Zarin P. Machanda, diretora de pesquisa do Projeto Chimpanzé Kibale, e a Dra. Rosati, junto aos colegas, estudaram durante 20 anos de observação os chimpanzés em Kibale. A equipe analisou os chimpanzés machos por terem a facilidade de ter mais amigos, enquanto as fêmeas estão mais ligadas a família.

Comportamento humano comparado ao comportamento entre chimpanzés

Os pesquisadores observaram 21 chimpanzés machos de 15 a 58 anos. Mas, como avaliar se os chimpanzés eram amigos? O critério utilizado foi a proximidade. Além de amigos sentarem juntos, era preciso saber se a amizade era mútua, com um chimpanzé prestando atenção ao outro, ou unilateral.

A resposta é que, conforme a idade chega, as amizades são mais mútuas e menos unilaterais. Outro ponto é que os chimpanzés mantiveram uma atitude mais positiva com a comunidade na velhice, com menos agressividade.

Não necessariamente outros primatas seguem esse padrão à medida que envelhecem, segundo os autores do estudo. Alguns macacos preferem se afastar de relacionamentos sociáveis e permanecem agressivos.

Os chimpanzés também foram escolhidos para essa pesquisa por ser nosso primata mais próximo e uma espécie com vida longa, em média até 60 anos. Além do amplo grau de escolha quando se trata de amizades.

Os amigos dessa espécie e do sexo masculino cuidam uns dos outros, compartilham e caçam juntos, prestam atenção nos limites de seu território e formam alianças para manter uma posição alta entre os grupos. A popularidade leva ao aumento do sucesso reprodutivo.

Estudo dos chimpanzés

Dr. Gilby gerencia há 60 anos os dados do projeto Gombe e disse que esse estudo mostra a importância de pesquisas feitas a longo prazo.

Ainda não se tem a confirmação do motivo pelo qual o chimpanzé tem menos amigos na velhice e se comportam de maneira menos agressiva. E nem se realmente se assemelha as emoções humanas. Poranto, pode ser apenas uma falta de impulso e energia para firmar novas relações sociais.

Há também a possibilidade deles manterem sua vida social para aumentar as chances de acasalar ou se reproduzir, mesmo mais velhos. Os chimpanzés mais velhos ainda reproduzem e a vida socialmente ativa ajuda a ter mais oportunidades de acasalamento. Mas isso pode ser analisado em novas pesquisas.

(Pixabay)

Assim como a amizade entre chimpanzés machos foi estudada, no futuro certamente seria útil analisar as relações femininas. As principais pesquisadoras do estudo se conhecem desde a época de estudante. Então, a ciência poderia considerar medir essa relação entre as chimpanzés fêmeas também.

Ao que parece, de acordo com as descobertas dessa pesquisa, um homem e um chimpanzé macho com mais de 35 anos tem mais amizades de qualidade. Portanto, escolhem de forma seletiva apenas os amigos genuínos.

Pesquisa publicada na Science.



Fonte Socientifica

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies