Casa Tecnologia Celular é único meio para ensino e home office na pandemia para 74% das classes DE

Celular é único meio para ensino e home office na pandemia para 74% das classes DE

por Alberto Lima


Sem surpresas, a terceira edição da pesquisa Painel TIC Covid-19, promovida pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) divulgada nesta quinta-feira, 5, mostra que o celular é o aparelho mais utilizado pelas classes DE para ensino remoto e home office. O levantamento, realizado entre 10 de setembro e 1º de outubro, representa um universo de aproximadamente 101 milhões de usuários de Internet, o que corresponde a 83% dos usuários de 16 anos ou mais. A pesquisa completa pode ser acessada clicando aqui.

Conforme a pesquisa, 74% dos usuários de Internet dessas classes DE utilizam exclusivamente o celular. Nas classes AB, esse percentual cai para 11%. Considerando apenas estudantes, 37% utilizam esse dispositivo para assistir às aulas e atividades educacionais. Mas no segmento DE, essa fatia sobe para 54%, contra 43% na classe C e 22% na AB. 

O uso de computador é maior nas classes AB, com 66%, enquanto na C é de 30%, a na DE, 11%. A pesquisa considera notebook, computador de mesa (desktop) e tablet como “computadores” em geral. 

Vale destacar que, como principais barreiras para o ensino remoto, a “falta ou a baixa qualidade da conexão à Internet” foi a segunda maior queixa para estudantes e ensino a distância, com 36%, atrás apenas da item “dificuldade de esclarecer dúvidas com os professores (38%). Considerando apenas as classes DE, a conexão foi um problema para 41%.

O Painel TIC Covid-19 diz que 40% – ou 23 milhões de pessoas – de usuários de Internet que trabalham passaram a adotar o esquema de teletrabalho. Especialmente entre indivíduos com ensino superior (65%), pertencentes das classes AB (70%). Esses segmentos também são os que mais usam computadores. No caso das classes DE, 84% utilizaram o celular para atividades de trabalho, 70% para ensino fundamental e 56% com idades entre 16 e 24 anos. 

“A falta de recursos digitais para acessar as aulas e atividades remotas é um dos principais aspectos que podem afetar a continuidade das rotinas educativas durante a pandemia. As disparidades de acesso às TIC entre estudantes dos distintos perfis socioeconômicos também criam oportunidades desiguais para a aprendizagem”, destacou em comunicado o gerente do Cetic.br/NIC.br, Alexandre Barbosa.



Fonte Teletime

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies