Buraco gigante aparece misteriosamente na Sibéria


O que antes era uma bolha de gás metano sobre a superfície do permafrost, solo constituído por uma junção de terra, gelo e rocha, agora tornou-se um buraco gigante. Tal acontecimento só pôde ser descoberto, quando uma equipe de televisão estava sobrevoando no local.

Assim, os cientistas foram averiguar o ocorrido, e encontraram no lugar, uma cratera com mais de 50 metros de profundidade. De acordo com a inspeção, foram encontrados alguns fragmentos de rocha e gelo a centenas de metros onde antes, estava a bolha.

Como foi formada a bolha de gás metano?

Até o momento, não há confirmações acerca de como tal acontecimento surgiu no meio do nada. As hipóteses sugeridas pelos pesquisadores que foram ao local, é que essa cratera tenha sido formada devido as mudanças climáticas. Essa suspeita foi levantada pois em 2014, houve um evento semelhante, na península de Yamal, na Rússia, após uma temporada sucessiva de altas temperaturas.

Atualmente, já foram registrados por volta de 17 crateras que surgem de evento misterioso, principalmente pela região da Sibéria e Rússia. Entretanto, o mais recente buraco gigante que foi aberto, é tido como o maior já registrado.

As presunções sobre a formação dessas elevações nos solos podem ser respondidas devido ao colapso apresentado no local. Onde ocorre um acúmulo de metano abaixo de uma região, devido ao derretimento do permafrost. Quanto ao colapso, esses podem acontecer de forma repentina, seja após o surgimento de colinas ou até mesmo, após inchaços da tundra.

O perigo por trás do buraco gigante

O metano é um gás altamente nocivo, e sua liberação na atmosfera pode ser 84 vezes mais forte como gás de efeito estufa.

Um estudo de 2017 mostrou que o derretimento do permafrost pode está causando esses colapsos. E assim, fazendo com que o metano, presente nas regiões do Ártico, sejam liberados em grandes quantidades.

Foi descoberto há existência de outras 7 mil bolhas de gás na península de Yamal, região próxima onde a nova cratera foi encontrada.

Um grande problema é a incerteza quanto a origem e formação dessas bolsas de gás. Assim, fica mais difícil tentar prever onde estão as bolhas e se estão próximas de estourar.

Além do gás metano liberado, esse tipo de solo pode estar guardando doenças antigas, das quais não temos conhecimentos, uma vez que não há muitos estudos profundos na região.

Com informações do ScienceAlert e The Siberian Times.

Queremos nos tornar a maior referência em educação científica do Brasil e na língua portuguesa. Para isso, precisamos pagar os melhores jornalistas, revisores e freelancers de ciência. Fazendo uma doação mensal em nosso , você nos ajuda a nos manter independentes e continuar o nosso trabalho sem percalços. 





Fonte Socientifica