Casa Tecnologia Brasil passa a ter maioria de celulares pós-pagos

Brasil passa a ter maioria de celulares pós-pagos

por Alberto Lima


Foto: Pixnio

Depois de ficar virtualmente com a mesma proporção em agosto, o serviço móvel pós-pago finalmente se tornou a maior base do mercado de celular brasileiro em setembro, de acordo com dados da Anatel. Eram 114,732 milhões de acessos do tipo pós-pago puro e controle, o que corresponde a 50,26% do total de 228,3 milhões de chips. 

Em agosto, essa proporção era praticamente inversa, com 50,12% para o pré-pago e 49,88% para o pós-pago. A mudança, que já vem ocorrendo há alguns anos, ocorreu com a adição de 1,357 milhão de acessos no pós-pago em setembro, um aumento de 1,2%. Já no pré-pago, a queda foi de 0,31%, ou 349,7 mil desligamentos.

No total, a base brasileira de 228,299 milhões de acessos em setembro se beneficiou do avanço do pós-pago, crescendo assim 0,44%, ou pouco mais de 1,007 milhão de adições líquidas no mês. Observe no gráfico da própria Anatel a evolução do mix dos acessos desde 2005, incluindo o pico do pré-pago em meados de 2015, com a consequente queda praticamente ininterrupta.

Em termos de tecnologia, o 4G continua a liderar com folga, com 165,441 milhões de acessos, um aumento de 1,19% (1,945 milhão de adições líquidas) no comparativo mensal. Por sua vez, o 3G caiu 3,68%, totalizando 35,139 milhões de linhas, chegando cada vez mais próximo da base mais antiga, o 2G. 

Essa tecnologia legada, o GSM, por sua vez, mostrou um atípico crescimento de 404 mil adições líquidas, equivalente a aumento de 1,48%. Com isso, encerrou setembro com 27,717 milhões de acessos.

Participação de mercado

Fonte: Anatel

Entre as operadoras, a Vivo foi a que mais cresceu no mês, com 979,3 mil adições líquidas (1,29% de avanço), total de 76,718 milhões de acessos. A Claro também cresceu: foram 706,9 mil adições (1,26%), somando assim 56,751 milhões de linhas. 

Já a TIM e a Oi apresentaram queda em setembro. No caso da primeira, houve 636,3 mil desconexões, um recuo de 1,23%, totalizando assim 51,158 milhões de chips. A Oi ficou relativamente estável, com 0,21% de redução (77,1 mil desconexões) e total de 36,536 milhões de acessos.



Fonte Teletime

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies