Casa Esportes Aumento do diálogo deve marcar futuro do COB

Aumento do diálogo deve marcar futuro do COB

por Alberto Lima


Logo após ser reconduzido ao comando do Comitê Olímpico do Brasil (COB) para o mandato de 2021 a 2024, Paulo Wanderley fez um discurso no qual se comprometeu a oferecer mais espaço à Comissão de Atletas.

O dirigente, que formava a chapa Força é União junto com o vice Marco La Porta, foi reeleito nesta quarta-feira (7) ao receber 26 dos 48 votos possíveis no pleito.

“Vivenciar um momento como o de hoje me emociona verdadeiramente e me faz lembrar toda a trajetória de 2017 para cá, o quanto construímos juntos. Isso, por si só, já é uma vitória. Se atualmente vivemos a democracia no COB, se tivemos pela primeira vez em décadas três chapas concorrendo à presidência, se tivemos a participação maciça e fundamental de atletas na tomada da decisão, isso foi fruto da reforma estatutária que conduzi como presidente desta entidade”, afirmou Paulo Wanderley logo após a vitória.

E o dirigente destacou que as mudanças devem continuar nos próximos anos: “A Comissão de Atletas vem mostrando seu amadurecimento e comprometimento com questões tão fundamentais do esporte em todas as suas falas e ações. Contará com ainda mais apoio jurídico, financeiro e de comunicação. Terá também orçamento próprio. Queremos instalar uma Central de Serviços Compartilhados às Confederações e rediscutiremos os critérios e políticas de distribuição da Lei das Loterias”.

Porém, o principal desafio será comandar o Time Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio no ano que vem. “É importante fazer o que estamos fazendo. Apreender com os erros e seguir da forma que nos propusemos. Acho que a manutenção de toda equipe vai dar tranquilidade para os atletas nesse período de incertezas”, declarou o vice-presidente Marco La Porta.

Comissão de Atletas

A eleição desta quarta ficou marcada pela expressiva participação da Comissão de Atletas, que pela primeira vez teve direito a 12 votos na Assembleia. A votação contou ainda com 34 representantes das Confederações Brasileiras Olímpicas e dois membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), totalizando 48 votantes. A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) não enviou representante.

“Ao me candidatar com o Marco La Porta, buscávamos a possibilidade de uma evolução ainda maior do COB e do esporte brasileiro. É esse o compromisso que firmamos após o resultado das urnas. Falaremos sempre de transparência, austeridade e meritocracia, além de competência e excelência. O objetivo é ampliar os mecanismos de governança, transparência e conformidade, aprimorando o tão bem-sucedido programa Gestão, Ética e Transparência, para que possamos ter uma gestão genuinamente esportiva”, concluiu Paulo Wanderley, que assumiu a presidência do COB em 11 de outubro de 2017, após a saída de Carlos Arthur Nuzman, afastado por envolvimento em casos de corrupção.





Fonte EBC

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies