Casa Tecnologia Anatel segue ‘guilhotina regulatória’ em requisitos técnicos para radiodifusão

Anatel segue ‘guilhotina regulatória’ em requisitos técnicos para radiodifusão

por Alberto Lima


Em solenidade realizada nesta quarta-feira, 14, a Anatel assinou uma série de atos atualizando requisitos técnicos para serviços de radiodifusão. A medida foi classificada como mais um passo da “guilhotina regulatória” empreendida pela agência.

Os novos atos técnicos consideram uma série de aspectos: padrões de transmissão, planos básicos de distribuição de canais, contorno protegido e classificação de canais, área de prestação de serviços, critérios de proteção, compatibilidade com outros serviços, roteiros para projetos técnicos e características de estações transmissoras.

Segundo o superintendente de outorga e recursos à prestação da Anatel, Vinicius Caram, a atualização dos requisitos é “base essencial para os ganhos” gerados pelo novo Regulamento sobre Canalização e Uso de Radiofrequências, aprovado em fevereiro como Resolução nº 721 e que entra em vigor no dia 3 de novembro.

Migração

O novo regulamento destina faixas de radiofrequência e aprova o regulamento de canalização para os serviços de radiodifusão. Com a medida, a Anatel espera viabilizar o atendimento de pedidos de migração de AM para FM ainda não atendidos a partir da disponibilização de 60 canais em cada município. Segundo o Ministério das Comunicações, 390 solicitações até então inviáveis devem se beneficiar da alteração.

Além da atualização das regras para uso do espectro pelas estações de rádio e TV, o novo arcabouço também permitirá um processo de licenciamento mais célere, de acordo com o conselheiro da Anatel, Emmanoel Campelo. Segundo ele, retransmissoras na Amazônia Legal já tem recebido outorgas neste formato mais ágil.

De forma geral, 35 resoluções deixaram de vigorar com a adoção do novo regulamento pela Anatel. Secretário de radiodifusão do Minicom, Maximiliano Martinhão também destacou que a área técnica da reguladora conseguirá atualizar com maior “flexibilidade” normas que antes precisavam dependiam exclusivamente do Conselho Diretor.

Governo digital

Titular do Minicom, o ministro Fábio Faria realizou breve participação na solenidade desta quarta-feira, que também teve presença de representantes do Ministério da Economia. Na ocasião, foi destacado que a guilhotina regulatória empreendida pela Anatel está em sintonia com iniciativas de liberdade econômica e governo digital da esfera federal.

Na mesma linha de integração de serviços e sistemas, soluções de TI desenvolvidas pela agência também devem ser compartilhadas com outros órgãos da administração direta e indireta. O sistema SEI, por exemplo, já tem módulos utilizados por 20 entidades, enquanto o Arco será motivo de um piloto pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).



Fonte Teletime

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies