in

20 esqueletos medievais encontrados em vala comum na Holanda


Encontrar tantos esqueletos juntos assim no mesmo lugar é um tanto estranho, não? Os operários encontraram os 20 esqueletos medievais enquanto trabalhavam em uma construção na cidade de Vianen, na Holanda. Um caso bastante assombrador. Acho que ninguém gostaria de se deparar com tantos esqueletos assim.

Os pesquisadores acreditam que eles estivessem, anteriormente, empilhados na mesma caixa de madeira. Possivelmente um enterro de forma bastante indiferente pelos responsáveis – como indigentes. Agora, os pesquisadores pensam haver ainda mais restos mortais medievais enterrados na área, e esperam encontrá-los. 

Os pesquisadores dataram os ossos de entre o fim a Idade Média até o século XVIII. Mas são, possivelmente, medievais. 

Contexto local

A cidade de Vianen é bastante pequena – com pouco mais de 20 mil habitantes. No entanto, ela é consideravelmente antiga – tornou-se cidade em 1337. Durante um breve período, na Idade Média, a cidade tornou-se independente. Com isso, então, virou um refúgio de criminosos e fugitivos da Holanda. 

Pintura do Castelo de Batestein por Jan Jacob Teyler van Hall.

Durante esse período de autonomia, em torno dos anos 1370, às margens  do Rio Lek Gijsbrecht van Beusichem construiu o Castelo de Batestein. Nas próximas décadas, diversas famílias habitaram o local. O castelo exerceu uma importância considerável na Holanda, sendo, por exemplo, um importante ponto de encontro das lideranças rebeldes da Guerra dos Oitenta Anos, como o famoso Guilherme I, Príncipe de Orange.

O príncipe liderou a independência da Holanda, que até então pertencia ao Filipe II de Espanha, da Casa  Real de Habsburgo. Após a independência, a Holanda tornou se uma grande potência europeia. Através da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais e da Companhia Holandesa das Índias Orientais, a Holanda construiu um rico império. E claro, assim como toda a Europa, à custo de escravidão de dominação de outros povos.

No século XVIII, então, após um incêndio causado por fogos de artifício, os últimos moradores abandonaram o castelo. Hoje, sobraram apenas alguns restos do castelo.

O que se sabe sobre os 20 esqueletos medievais?

(EPA).

É no entorno do castelo que os operários encontraram os esqueletos. Inicialmente, os trabalhadores encontraram 9 ossos enquanto trabalhavam em um trecho de um novo canal para a cidade. Os outros 11 surgiram quando os arqueólogos já escavavam cientificamente o local. Por isso eles pensam haver mais ossos ainda. 

Todos os 20 esqueletos correspondem a homens jovens, entre 15 e 30 anos de idade. Os pesquisadores dizem se tratar de uma vala comum por algumas características como a falta de pertences pessoais ou jóias, além da concentração de corpos empilhados. Pregos enferrujados indicam que havia uma caixa de madeira, hoje já decomposta.

A falta de indícios de roupas e objetos pessoais impede os arqueólogos de saber de muitos detalhes além do gênero e idade dos corpos. Então, os pesquisadores partem para hipóteses baseada no local e nas épocas em que o castelo funcionava.

Podem ser, por exemplo, vítimas da peste negra, já que era comum que enterrassem as vítimas da pandemia às pressas. Há, também, a hipótese da Guerra dos 80 anos, já que o castelo serviu como base para os encontros dos rebeldes, conforme destacamos anteriormente. Ou são até mesmo vítimas de um massacre. Pelo menos no momento, um veredito é impossível.

Com informações de Ancient Origins e Metro.



Fonte Socientifica

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0